terça-feira, 15 de julho de 2008

A andança dançante

Eu só quero caminhar.

Só quero ter dores de cabeça.

Caminhar e ter dores de cabeça, que sejam fortes.

Durem por toda a jornada, só a dor e a estrada.

Quero me esquecer das aparências.

Não podemos nos preocupar com esse visual tão decadente.

Com pele e couro futuramente comidos por vermes.

Quero me esquecer que lembrei de algo um dia.

Eles procuram uma intensidade, algo em que acreditar.

Fogem do real sem chegar a qualquer outro lugar.

Existe um parâmetro de busca entre todos.

É realmente algo assustador conquistado aos socos.

E a melhor coisa do mundo se torna ter dores de cabeça.

Apenas caminhar e ter dores imensas de cabeça.

Caminhar só por caminhar, ver as estações mudando.

Que seja eterna caminhada ao nada sem nada.






Um comentário:

Eduardo Oliveira disse...

Fala André, como vai?

Sinto um Augusto dos Anjos neste texto, parabéns! Está muito bem elaborado.
abração

Seguidores